Baixar o Leitor Acrobat PDF

Para a leitura dos arquivos, armazenados em formato PDF, é necessário ter instalado o Adobe Acrobat Reader. O link a seguir é diretamente ligado ao site da Adobe.

OBSERVAÇÃO – A Comissão Organizadora do PSS, encarregada de proceder com os julgamentos dos recursos interpostos, que seguem abaixo, em face do Resultado Preliminar divulgado, informa e esclarece aos interessados e aos candidatos, que muitas das vezes, o julgamento de determinado recurso, pode alterar não só a nota do candidato recorrente, como em algumas ocasiões, pode alterar as notas de outros candidatos que são citados nominalmente no recurso por quem o interpôs.  Deste modo, ocorrendo esta situação, e se porventura algum candidato se deparar com a situação acima narrada, e se houver dúvidas quanto ao julgamento aqui apresentado, ou se sentir prejudicado, poderá este candidato entrar com pedido de esclarecimento por escrito, que terá resposta também por escrito, por parte da Organização do Processo. Se também por ventura, sua reclamação/insatisfação for procedente, os resultados finais poderão ser novamente alterados, pois que a administração pública, pode rever,  anular ou revogar seus próprios atos, quando verificado que possam estar eivados de vícios ou que contenham irregularidades ou falhas corrigíveis, ou mesmo se revestido de falha formal, conforme variada jurisprudência de nossos Tribunais Superiores, em especial do STF – Supremo Tribunal Federal.

Registre-se ainda que algumas notas foram alteradas, mesmo sem que houvesse recurso, pois alguns lançamentos e contagem de pontos podem ter sido revistos, quando de ofício, sem provocação, constatado qualquer erro,  já que o resultado antes divulgado era preliminar, se procedeu com o lançamento correto, em atenção às normas contidas no respectivo Edital.

 

FUNÇÃO – PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL

CANDIDATO RECORRENTE: LUZIA DOS SANTOS ROCHA-  Recurso DEFERIDO – A contagem correta é Licenciatura 20 pontos,  Experiência 80 pontos, Pratica Atual 10 pontos, com total de 110 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: NELIANE GONÇASVES DOS SANTSOS – Recurso DEFERIDO – A contagem correta é comprovação de Experiência 35 pontos, Prática Atual 10 Pontos e Cursos 20 pontos, com total de 65 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: MARIA AUTELINA DE BARROS – Recurso INDERERIDO – A candidata apresentou comprovação de experiência de Auxiliar de Serviços Geral e neste caso estes pontos não entrariam na contagem, pois concorre para outra função. A contagem divulgada está correta.

CANDIDATO RECORRENTE: GLÁUCIA LAÍSA DA SILVA GONÇALVES – Recurso DEFERIDO – A contagem correta é comprovação de experiência 100 pontos e de prática atual 10 ponto, com total de 110 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: AURILENEL MARIA DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – A contagem de pontos de tempo de experiência de 20 pontos está correta, bem como a de pratica atual de 10 pontos, com total de 30 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: ANDÉA DOS SANTOS COUTO – Recurso DEFERIDO, para considerar tempo de experiência com 55 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: CIBELLY CAVALCANTI BARBOSA – Recurso INDERERIDO, a contagem de pontos está correta, pois quatro semestres de experiência corresponde a 20 pontos, como divulgado.

CANDIDATO RECORRENTE: JORLENE JUCIMAR DOS SANTOS – Recurso DEFERIDO – Contagem correta de pontos é de 20 pontos de Licenciatura, 10 Pontos de Pós Graduação, 30 pontos de experiência na área pretendida, 10 pontos de prática atual e 20 pontos de cursos na área, com total de 90 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: ANTONIA NOVAES DOS SANTOS ANGELIM – Recurso DEFERIDO – Contagem de pontos correta é Licenciatura 20 pontos, Pós graduação 10 pontos, experiência na área pretendida 50 pontos, como total de 80 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: AURINEIDE RODRIGUES DOS SANTOS SOUSA – Recurso DEFERIDO – contagem correta é de 100 pontos de experiência, 5 pontos de cursos da área, licenciatura 20 pontos, com total de 125 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: ELVER FEREIRA DOS SANTOS – Recurso INDERERIDO – O candidato somente apresentou 01(um) certificado de curso e não 4 quatro como alegado. No único curso do certificado apresentado constavam várias atividades de libras, recicalgem, musicalização e contação de história.

CANDIDATO RECORRENTE: CLEIDE  CREUZA DA SIL VA SANTOS – Recurso DEFERIDO – a candidata teve seu nome divulgado como que inscrita para a vaga de Professor de Ensino Fundamental I, quando na realidade a inscrição é para Professor de Educação Infantil. Corrigida a falha.

CANDIDATO RECORRENTE: ADRIANA BRINGEL LOPES CALAÇA – Recurso DEFERIDO – Servidora fez inscrição para Professor de Educação Infantil e o resultado de seus pontos foi divulgado como se fora de Professora de Ensino Fundamental I – Este erro ocorreu com esta e com outros candidatos.  Deferido também contagem correta de pontos de experiência com acréscimo de mais 30, passando a contagem total a ser de 80 pontos.

 

FUNÇÃO – PROFESSOR ENSINO FUNDAMENTAL I.

CANDIDATO RECORRENTE: ADRIANA AUTELINA BARROS – Recurso INDEFERIDO – a contagem de pontos está correta, como divulgado no Resultado Preliminar

CANDIDATO RECORRENTE: WILMA MARIA DOS SANTOS BARROS – Recurso DEFERIDO – A contagem correta do tempo de experiência é de 40 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: FABÍOLA PEREIRA DA SIL VA - Recurso INDERERIDO – duas declarações de experiência apresentadas, são de Escolas particulares e neste caso a comprovação deveria se dar por meio de apresentação de cópia da CTPS, o que não foi feito.

CANDIDATO RECORRENTE: MARILDE PEREIRA DIAS – Recurso INDEFERIDO – a candidata apresentou declaração de experiência de modo não aceito no edital, pois deveria ser de Departamento de Recursos humanos de órgão público ou com apresentação de CTPS em caso de empresa particular.

CANDIDATO RECORRENTE:  JOSILEIDE GILDETE GOMES – Recurso DEFERIDO – A contagem correta de pontos é de 20 pontos de licenciatura, 70 pontos de experiência, 20 pontos por cursos na área pretendida e 10 pontos por pratica atual, com total de 120 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE:  KÁCIA AMANDO DA SILVA – Recurso INDEFERIDO  - a contagem divulgada no Resultado Preliminar está correta.  A recorrente alega ainda, que a candidata que tirou o primeiro lugar, estaria com contagem errada, pois sua pós deveria ser contada como de 10 pontos e não de 15 pontos como divulgado. No caso trata-se da pontuação da candidata POLIANA ROCHA DE BARROS SILVA. Procede a alegação. A pontuação desta candidata, em razão do que exposto passou a ser de 10 pontos para o certificado de pós graduação apresentado. No entanto, referida candidata continuou no mesma classificação.

CANDIDATO RECORRENTE: JUCILENE JUCIMAR DOS SANTOS – Recurso DEFERIDO – a contagem correta de pontos é 20 pontos de licenciatura plena, 10 pontos de Pós Graduação, 100 pontos de experiência, 10 pontos de prática atual e 10 pontos de cursos na área, totalizando 150 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: VANDEILSON NOGUEIRA DO NASCIMENTO – Recurso DEFERIDO – deferida contagem de pontos de 45 pontos de tempo de experiência,  10 pontos de cursos na área, além de 10 pontos da graduação exigida.

CANDIDATO RECORRENTE: KELLY CRISTINA ALVES NOGUEIRA – Recurso INDEFERIDO – a declaração de experiência apresentada não pode ser aceita, pois em forma não permitida no Edital, que deveria ser com apresentação da CTPS.

CANDIDATO RECORRENTE: ADRIANA DA SILVA SANTOS – Recurso DEFERIDO – A contagem correta de pontos para tempo de experiência e de 60 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: DIVA MARIA RIBEIRO DA COSTA – Recurso DEFERIDO – A contagem correta de tempo  de serviço é de 100 pontos, limite máximo permitido. Os pontos totais passaram para 160 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: CLÉCIA OLIVEIRA DA SILVA – Recurso DEFERIDO – A contagem de 15 pontos para certificados de cursos na área foi deferida pois que comprovados, passando a ter total de 85 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE:  MIRELA NAYARA GOMES DOS SANTOS – Recurso INDEFERIDO – A candidata alega que teriam outros candidatos que não teriam a graduação exigida e cita a candidata classificada em 64º lugar, que não possuiria experiência. Verificou-se que a candidata citada comprovou sim experiência, conforme documentos acostados e arquivados , que ficam à disposição para verificação.

CANDIDATO RECORRENTE: MARIA AUDENICE CAVALCANTE TORRES – Recurso DEFERIDO – Acrescido à pontuação da candidata, 20 pontos, antes não lançados no resultado preliminar, por comprovação de licenciatura plena.

 

FUNÇÃO : MOTORISTA ESCOLAR.

CANDIDATO RECORRENTE: FRANCISCO PIRES DE SÁ JUNIOR – Recurso INDEFERIDO. Candidato solicita pontuação de tempo de experiência de 6 meses exercido neste ano de 2017. Ocorre que neste ano somente apresentou comprovação de 4 meses e meio, razão do indeferimento do pedido recursal.

CANDIDATO RECORRENTE: JOSADAQUE TORRES DOS SANTOS – Recurso DEFERIDO – a pontuação correta de pontos é experiência 20 pontos, curso, 05 pontos, com total de 25 pontos.

OBS: O RECORRENTE, na sua peça, informa que diversos motoristas que apareceram com tempo de experiência na função de motorista, apresentaram declarações que não podem ser aceitas, pois que fornecidas pela Prefeitura de Cabrobó, quando na realidade, como eram empregados de uma empresa contratada do Município  de Cabrobó, era esta que deveria ter apresentado provas, ou que a documentação válida seria a apresentação da CTPS.  ASSITE RAZÃO AO RECORRENTE, razão pela qual, foram diminuídos os pontos antes concedidos aos seguintes candidatos da mesma função de Motorista Escolar: PATRÍCIO VIEIRA DE VASCONCELOS, GIDEILSON FREIRE DE MENEZES, ARNALDO FRANCISCO DA SILVA, ELIZALDO SALDANHA DA SILVA, ELDENBERG ALVES BRANDÃO, IRANILDO DOS SANTOS SILVA E ADRIANO CAVALCANTE DE CARVALHO.

CANDIDATO RECORRENTE: VALDEMIR CAVALCANTE FILHO – Recurso DEFERIDO, a contagem correta de pontos é de 20 pontos de experiência e 10 de cursos na área, com total de 30 pontos. 

CANDIDATO RECORRENTE: EVANDRO RIBERIO DA SILVA – Recurso DEFERIDO – a contagem correta de pontos é de 80 pontos de experiência e 20 de cursos na área pretendida, com total de 100 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: MANOEL SENHOR RODRIGUES DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – o candidato embora solicite pontuação de experiência, não apresentou nenhum documento que comprove a mesma.

CANDIDATO RECORRENTE: EDUARDO TAVARES DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – a contagem de pontos no total de 40 pontos, está correta.

  

FUNÇÃO : VIGIA.  

CANDIDATO RECORRENTE: JOSÉ CÍCERO DE LEMOS – Recurso INDEFERIDO – A documentação de comprovação de experiência de auxiliar administrativo não conta como experiência de vigia.

CANDIDATO RECORRENTE: RENANDES TAVARES DA SILVA – RECURSO DEFERIDO – Contagem de pontos correta de experiência de 40 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: IRANILDO BRITO DOS SANTOS – Recurso INDEFERIDO. Contagem de pontos correta de conformidade com a documentação apresentada.

CANDIDATO RECORRENTE: - MURILO MANOEL BARBOSA – Recurso INDEFERIDO – Foram apresentados documentos não aceitos para comprovação de títulos no Edital. Os cursos apresentados para os quais solicita pontuação, possuem carga horária abaixo do que permitido no Edital.

CANDIDATO RECORRENTE: FRANSUELDO RODRIGUES – Recurso DEFERIDO – a contagem coreta de pontos é de 15 para tempo de serviço, 15 pontos de cursos, com total de 30 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: WELLYGTON JULIO RAMOS DA SILVA – Recurso DEFERIDO – a contagem correta do tempo de experiência é de 45 pontos e 20 pontos de cursos da área, totalizando 65 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE: JAELSON DA CONCEIÇÃO – Recurso INDEFERIDO – a contagem de pontos está correta.

CANDIDATO RECORRENTE: - GIVANICE SOUZA DO NASCIMENTO – Recurso DEFERIDO – Contagem correta de tempo de experiência de 100 pontos mais 20 pontos de cursos, com total de 120 pontos.

 

FUNÇÃO: PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II – GEOGRAFIA.

CANDIDATO RECORRENTE :  FRANKLIN FREITAS GONÇALVES – Recurso DEFERIDO – O candidato alega que a candidata ao mesmo cargo, de nome Urcula Caldas de Oliveira, não deve ter apresentado documento que comprove habilitação para a função, já que não possui tal diploma, e que por esta razão, a pontuação da mesma deve ser revista, procedendo-se com sua desclassificação, e por consequência, a classificação dele recorrente deve ser alterada. Assiste razão ao recorrente. A candidata apontada não apresentou o título exigido para habilitação na função e assim, foi a mesma desclassificada e alterada a sua classificação.

 

FUNÇÃO: PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II – CIÊNCIAS.

CANDIDATO RECORRENTE :  WILLIANE MENEZES DA SILVA –Recurso DEFERIDO – A contagem do título de Prática  atual correta é de 10 pontos, passando a contagem total para 90 pontos.

 

FUNÇÃO: PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II – INGLÊS.

CANDIDATO RECORRENTE :  KAROLLAYNNE GONÇALVES PARENTE – Recurso DEFERIDO – A candidata teve seu resultado divulgado na lista preliminar de Professor de Português, quando na realidade sua inscrição foi para professor de Inglês – seu nome apareceu em duas listas. Além disto recorre da contagem de seus pontos. Assiste razão à candidata – corrigido o erro de lançamento. A contagem correta de sua pontuação é Licenciatura 20 pontos, Pós Graduação 10 pontos, Experiência 10 pontos e cursos na área 10 ponto, com total de 50 pontos.

 

FUNÇÃO: PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II – PORTUGUÊS.

CANDIDATO RECORRENTE: CÍCERA LÚCIA DA SILVA SOUZA – Recurso INDEFERIDO – a candidata não teve contados os pontos reclamados, porque não apresentou comprovação de que possui Licenciatura em  Letras, requisito exigido para habilitação na função.

CANDIDATO RECORRENTE :  SEBASTIÃO RAIMUNDO DE OLIVEIRA – Recurso INDEFERIDO – N nova contagem de pontos do candidato, verificou-se que a correta é Licenciatura Plena 20 pontos, Comprovação de experiência 0(zero) pontos e Pratica atual 10 pontos, com total de 30 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE :  AURENITA GOMES DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – a recorrente alega que tempo de experiência de Auxiliar Administrativo não foi contado . Para a função pretendida de Professor de Português, o tempo de experiência com  Auxiliar Administrativo não conta.

CANDIDATO RECORRENTE : RIZONEIDE DA SILVA SANTOS – Recurso INDEFERIDO. As Declarações apresentadas pelo candidato recorrente não foram aceitas, pois que de programa que não comprova tempo. A declaração apresentada de tempo de serviço, foi feita por Gestor de Escola Municipal e o vínculo alegado pelo recorrente seria com o Projeto Se Liga Pernambuco, do Governo do Estado, de quem o mesmo deve ter recebido seus vencimentos. Sendo assim, quem poderia apresentar a declaração seria a Secretaria de Educação do Estado de Pernambuco, o que não foi feito.

 

FUNÇÃO: PROFESSOR DE ENSINO FUNDAMENTAL II – MATEMÁTICA.

 

CANDIDATO RECORRENTE :  FELIPE ALVES LEMOS – Recurso DEFERIDO – A contagem correta de pontos é com 15 Pontos Licenciatura Curta, Experiência 5 pontos, experiência atual 10 pontos e não serão contados pontos de curso de informática, pois que não admitido no edital, ficando total de 30 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE : JEANY BARROS LIMA GONZAGA -  Recurso INDEFERIDO – A forma de apresentação de declaração não é aceita pelo Edital . Quem deveria fornecer no caso Declaração ou Certidão seria órgão apropriado do governo do Estado de Pernambuco e não Gestora de Escola Estadual.

CANDIDATO RECORRENTE : CÍCERO EDENILSON FREIRE DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – A contagem de pontos do candidato está correta . O recorrente apresentou  declaração com 12 meses de experiência, correspondente a 10 pontos, como lançado no resultado da totalização de pontos. 

CANDIDATO RECORRENTE :  CARLOS EDUARDO DA SILVA PEREIRA – Recurso INDEFERIDO – a candidata citada tem comprovação documental dos títulos, junto à sua inscrição, no caso a que classificada em nono lugar.

 

FUNÇÃO: AUXILIAR DE SERVIÇOS GERAIS.

CANDIDATO RECORRENTE :  MARIA DO CRMO ROCHA OLIVEIRA – Recurso  INDEFERIDO – A candidata não apesentou declaração que comprove experiência na função pretendida, estando correta a contagem de pontos da mesma.

CANDIDATO RECORRENTE :  REGIANE MARIZETI DO NASCIMENTO – Recurso DEFERIDO -  a candidata tem 8 semanas completas comprovadas de experiência, que corresponde a 40 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE : ZIZEUDA BARROS SILVA – Recurso INDEFERIDO – A candidata apresenta declaração de experiência de professora e de auxiliar de serviços. Pede que as duas sejam contabilizadas. Somente pode e foi considerada a experiência como Auxiliar de Serviços Gerais. A contagem de pontos está correta.

CANDIDATO RECORRENTE : ANGELA MARIA DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – a contagem de pontos da candidata está correta, de conformidade com os documentos de títulos entregues pela mesma. 13 meses de experiência – 10 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE :  AUVANI NUNES DE BARROS – Recurso DEFERIDO – A contagem correta de pontos de experiência correta é de 65 pontos, correspondente a 13 semestres trabalhados.

CANDIDATO RECORRENTE :  AMANDA ÂNGELA DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – 25 pontos contados correspondentes a 5 semestres de experiência comprovada – Correta a contagem de pontos.

 

 

FUNÇÃO: AUXILIAR DE SALA DE AULA.

CANDIDATO RECORRENTE : JOISA MAYARA DA SILVA – Recurso INDEFERIDO – a contagem de pontos da candidata está correta. A mesma tem 13 semestres completos de experiência, o que equivalem a 65 pontos, como lançado no resultado. A candidata apresentou ainda mais 4 meses de experiência na função, para os quais não se conta pontos, pois necessitaria ter mais 02 meses, para nova contagem de pontos, como pretendido.

 

FUNÇÃO: MERENDEIRA.

CANDIDATO RECORRENTE : MARIA OZINEIDE DE OLIVEIRA – Recurso INDEFERIDO – a candidata apresentou certificados de cursos, mas todos abaixo da carga horária de 20 hrs, como previsto no Edital, razão pela qual não foram considerados tais títulos para pontuação.

 

FUNÇÃO: CUIDADOR DE CRECHE

CANDIDATO RECORRENTE :  MARIA ERINEIDE FERREIRA DA SILVA – Recurso DEFERIDO – A contagem correta de pontos é de 100 pontos de experiência, correspondentes a 20 semanas e 10 pontos de prática atual, com total de 110 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE :  BIANCA BEZERRA CHALEGRE – Recurso INDEFERIDO – a candidata não apresentou qualquer declaração ou título que comprovasse experiência n área pretendida. Correta a pontuação publicada.

 

FUNÇÃO: AUXILIAR ADMINISTRATIVO.

CANDIDATO RECORRENTE : LARISSA RODRIGUES TORRES – Recurso INDEFERIDO – a candidata recorrente apresentou declarações de experiência de forma não aceita pelo edital, pois deveria no caso de tempo em empresa particular, pessoa jurídica de direito privado, deveria apresentar cópia da CTPS. Somados os tempos apresentados, tem 6 semestres comprovados o que daria uma pontuação de 30 pontos. Apresentou experiência de escola particular, de professora, função diversa da pretendida,  por meio de declaração, não aceita e não computados os pontos.

CANDIDATO RECORRENTE :  ALDENORA LIRA DA SILVA NOVAES – Recurso DEFERIDO – a contagem correta de pontos de experiência é de 80 pontos.

CANDIDATO RECORRENTE :  IGOR GOMES DE OLIVEIRA – Recurso INDEFERIDO – O candidato não apresentou nenhuma declaração de experiência em funções correlata à que pretendida. Correta a contagem de pontos divulgada.

 

CANDIDATO RECORRENTE: GESSENIRA TORRES CAVALCANTE DA SILVA – Recurso DEFERIDO – a candidata tem comprovação documental de 26 semestres, mas pelo edital somente pode pontuar no limite de 100 pontos, equivalente a 20 semestres. Deferido a contagem de 100 pontos de experiência. 

Domingo 19 Novembro 2017

Portal de Seleções

INSCRIÇÕES ENCERRADAS.

Boas vindas ao Portal de Seleções da Prefeitura Municipal de Cabrobó.
Ao lado, você poderá assinar ao nosso Boletim Informativo, recebendo as informações pertinentes às publicações, novidades e notícias do nosso Portal.

Boletim Informativo